Artigos e colunas

Isto pode ser bastante útil para ajudar a prolongar a vida e a saúde de um piloto. Entretanto, medo excessivo pode ser prejudicial. Qualquer pessoa que já está voando a algum tempo é capaz de citar casos onde um piloto pôs os pés pelas mãos e acabou se assustando com algum acidente ou algo próximo disto e terminou ralentizando seu progresso por algum medo incontrolável. Use o medo natural para ajudar você a continuar voando seguro, veja como:

1. Escute quando ele lhe fala. Ignorar o medo é provavelmente patológico, afinal ele está lá justamente para chamar sua atenção. Vá então para o segundo passo.

2. Procure quantificar exatamente quanto de medo está presente. É a decolagem mais assustadora do que costumava ser? As condições estão mais difíceis que o normal? Existem fatores desconhecidos na situação? (novo equipamento, novo local de vôo). Procure determinar exatamente o que está causando sua ansiedade e então:

3. Concentre-se apenas neste ponto chave colocando todo o resto (ex: equipamento em ordem, condições de pouso em ordem, ventos ok, etc).

4. Procure determinar se seu medo realmente é razoável. Você está mordendo mais do que pode mastigar? Esta é a pergunta básica. É claro que durante o processo de aprendizado, temos de explorar um pouco nossos limites, porém esta exploração deverá estar mais para passos de bebê do que de gigante. Por exemplo, limite-se a ventos de 5 km/h a menos do que aqueles que você praticava antes de sua experiência negativa e vá aumentando bem progressivamente. Se você está dando um passo maior que as pernas é razoável esperar pela próxima oportunidade. Se as coisas não estão tão graves, então vá para o próximo passo.

5. Suavize seu medo acessando a situação de forma lógica. Examine se o que você pretende fazer está além de sua capacidade técnica. Outros pilotos e (principalmente seu instrutor) podem lhe dar um feed back. É uma coisa boa se alguém decola antes de você e pode lhe informar sobre a condição e outros fatores. Procure encontrar um equilíbrio entre seu desejo de voar e a necessidade de adicionar novas experiências de forma gradua a sua vida. Se você decidir por voar, faça-o consciente de que tomou a decisão correta. Reconheça seu medo como um mero cão de guarda e voe com confiança. E sabe o que mais? Conquistar o medo é uma recompensa em si e aumenta o seu bem estar pós-vôo.

6. O último passo no processo de controle do medo é praticar o vôo dentro de seus limites com freqüência. Não tente conseguir o máximo a cada vôo, você perceberá que seu medo vai se manter em um patamar baixo se você usar o tempo aperfeiçoando suas habilidades durante cada etapa de seu desenvolvimento.

O medo tem estado conosco desde quando caíamos de árvores ou caçávamos mamutes senão antes. Temos medo de altura, do desconhecido, medo de errar em frente aos outros pilotos. O medo sempre estará conosco enquanto nos proporcionarmos novos desafios. Entretanto, aprender e adquirir experiência irá eliminar a maior parte dele.

Se você voar tempo suficiente, você não sentirá mais medo durante um vôo normal, podemos lhe garantir isto. O problema será apenas manter a consciência de segurança sem ter o Grilo Falante sussurrando no seu ouvido. Assim, qualquer medo que você sentir será apenas uma parte do ritual de passagem, use-o para guiá-lo para um nível maior de competência.